A vida virou um risco. Dois anos na estrada!

*Texto por Paula Faria, editado por Luis Antônio

150

A princípio, viajar pode parecer simplesmente lazer, luxo ou um passatempo, no entanto, arrumar as malas e partir rumo ao desconhecido vai muito além disso. Está relacionado à relevância que damos às experiências vividas ao longo de nossa vida, à reconhecer que os problemas não são exclusivos do país ou cidade em que vivemos, à aprender a respeitar mais as pessoas e suas diferenças, à lidar com contratempos e, o mais importante, propicia um auto-conhecimento muito grande, resgatando nossas referências e expondo novas perspectivas de nós mesmos e do mundo.

É neste contexto que está inserido Luis Antonio Botelho da Cunha, 25 anos, desenhista industrial, que tem vivido a maravilhosa experiência de viajar pela América Latina com apenas alguns pertences amarrados em uma bicicleta.

Sua aventura começou há cerca de dois anos, quando se deparou com um mercado de trabalho difícil, uma vida sem muitas perspectivas e uma oportunidade incrível de fazer essa viagem e realizar seu sonho de conhecer a América Latina. Luis abraçou a oportunidade e, desde então, tem colecionado novos aprendizados e percepções a respeito da vida.

Saiu de São Paulo em 2016, passou por diversas cidades e lindas paisagens do Brasil, avançou pelo Uruguay onde foi se familiarizando com o espanhol, cruzou Argentina de leste à oeste pelas pampas e montanhas, pedalou o deserto do Atacama no Chile, conheceu os impressionantes contrastes paisagísticos e sociais na Bolívia, regressou ao Brasil pelo centro-oeste e em 2017 pedalando por Rondônia e Acre chegou ao Peru, país que recorreu de ponta a ponta pelas montanhas e vales amazônicos. Hoje, encontra-se no Equador, fazendo uma parada mais longa, trabalhando na praia Montañita, Santa Elena e aproveitando para descansar e se preparar para a próxima aventura: em 2018 conhecer o caribe e chegar nas cidades maias e astecas de Guatemala e México.

151

As mudanças em seu comportamento foram desde as mais simples, como aprender a cozinhar, viver com poucos objetos e cuidar das próprias roupas, coisa que nunca necessitou fazer enquanto ainda morava na casa de seus pais, até as mais complexas, como o fato de confiar nas pessoas, ser mais responsável, tomar decisões difíceis e ser autossuficiente, ganhando e guardando seu próprio dinheiro, que utiliza para manter seus gastos durante a viagem e também para projetos futuros.

São incontáveis as experiências marcantes que foram vividas por Luis, mas, segundo ele, a mais desafiadora e emocionante foi a que obteve ao atravessar o Deserto do Atacama, o deserto mais seco do mundo. Estar viajando sozinho, através de um meio de transporte como a bicicleta, enfrentando variações exorbitantes de temperatura e terrenos difíceis, com poucos momentos de descanso e muita vulnerabilidade, propiciou momentos de introspecção, de conhecimento da própria essência e solucionou problemas internos. O viajante gosta de lembrar que “aprendi que nós passamos por experiências marcantes todos os dias, porém por termos uma vida confortável e estarmos acostumados com pequenos luxos – água encanada, eletricidade, banho quente, máquina de lavar, restaurantes -, acabamos não dando importância a essas experiências, mas devemos ser atentos a valorizar os aprendizados e sermos felizes com o que a vida nos proporciona”.

152

Para ele, não importa o meio de transporte que decidirmos utilizar, o fundamental é viajar. Sair é, muitas vezes, a melhor forma de nos encontrarmos. Nos tira da bolha em que vivemos, nos torna menos preconceituosos, nos leva para muito além de nossa zona de conforto e faz com que nos sintamos capazes de realizar qualquer sonho e ultrapassar qualquer barreira. Por isso, incentiva todos ao redor do mundo a realizarem uma viagem como essa, através de seu blog (www.umrisco.wordpress.com) conta suas experiências de cicloviagem, justamente para que haja um intercâmbio de conhecimento. “Seria interessante se todos passassem por essa ‘faculdade de conhecimentos’, pois encaro a viagem exatamente dessa forma: como um investimento na própria sabedoria e na qualidade de vida”.

A história do Luis é, certamente, muito inspiradora e especial. E pode se tornar a sua, basta você desejar. Há ainda um caminho longo a ser percorrido por ele e muitas diferentes realidades o esperam, para que obtenha mais ensinamentos e histórias para contar. Quem quiser acompanhar sua trajetória, basta acessar os sites: http://www.umrisco.wordpress.com, http://www.fb.com/umrisco e http://www.instagram.com/avidavirouumrisco, onde encontrarão lindas fotos e descrições detalhadas a respeito de todos os lugares que já esteve ao longo dos dois últimos anos. Espero que essa história tenha tido o poder de despertar em todos os leitores essa vontade de explorar o mundo à nossa volta e a si mesmo, conseguindo com isso a evolução que tanto buscamos.

Anúncios

Sobre Luís Cunha

Cidadão do mundo, formado em design e atualmente freelancer na área da ilustração e do design gráfico. Fale comigo -> luisbcunha@gmail.com portifólio -> behance.net/luiscunha
Esse post foi publicado em Apresentação, Expedição América Latina e marcado , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s