Cicloviagem: LatAm | Especial: 17 dias pedalando no Vale Europeu (SC) sem pagar hospedagem

Desde o início de março tenho pedalado em itinerário diferente da proposta inicial do meu projeto. Fiquei encantado com a região do Vale Europeu, e consegui convencer a Mariana a pedalar comigo durante seus sete dias de férias no trabalho. Dessa forma, arrumei uma desculpa pra voltar de Rio do Sul e poder conhecer outras regiões do vale.

Em 17 dias de pedal gastei R$200, e nenhum centavo com hospedagem. Para isso foi necessário pedalar carregando um peso de +/- 25kg, que se distribuía em roupas, cozinha (fogareiro, panelas, talheres),comida, equipamento de camping e também câmera, tripé, caderno, estojo e aquarela. No mapa abaixo destaco todo o trajeto, bem como as áreas de camping:

48

Depois de oito relaxantes dias com os amigos em Rio do Sul/SC, parti direto pra Timbó, onde acampei no Jardim botânico da cidade. Estrutura muito boa com ducha fria, lugar coberto pra montar a barraca, e ainda por cima as 7h da manha seguinte duas senhoras que cuidam do lugar trazem café com leite quentinho. Depois do café segui sentido a cidade de Dr. Pedrinho, onde acampei na cachoeira Salto Donner.

42

Do Salto Donner conversei com os locais e decidi seguir sentido a cachoeira do Paulista, onde fiquei acampado duas noites, devido ao maravilhoso espaço para camping. Além de banheiro com ducha fria e torneira de água potável, o pessoal do bairro cuida muito bem do local, mantendo a grama baixa e também deixando lenha para se fazer fogueira.

43

Com aperto no coração, saí da cachoeira do Paulista e voltei à benedito novo, onde toquei para Alto Cedro. Na serra nao encontrei boas quedas d’água para camping. Chegando no fim da serra encontrei um campo de futebol anexo a um bar desativado, fui aos fundos e notei que o leito do rio passava por alí. Dormi tranquílo na beira da estrada depois de um banho.

44

Já próximo à cidade de Rio dos Cedros, me informo com locais e decido subir para Palmeiras, na região dos lagos. Me decepcionei pois todas as áreas boas de camping na baira do lago eram cercadas. Pedi autorização e pude acampar atrás do Mercado Palmeiras, em uma ótima área de churrasqueiras à beira do lago. O local dispunha de ducha quente e também ponto de tomada. Pude carregar meus eletrônicos e dormir tranquilo. De lá segui pelas serras de Garibaldi para Corupá.45

 

Já conhecia Corupá, então me adiantei logo e acampei à beira de um riacho, na estrada que vai para a Rota das Cachoeiras. Lá conheci o senhor Urubis e seu gurí. Ele me ajudou muito com provimentos e água, e insistindo para que eu ficasse mais uma noite. Aproveitei para limpar o local e combinei com ele de levar ao lixo os sacos separados.

Seguí sentido ao Parque natural do Braço Esquerdo, que fica do outro lado do centro de Corupá, sentido Ano Bom e São Bento do Sul. Depois da subida mais difícil da viagem (elevação de 350m em 1,5km) descobri que o parque tem uma estrutura muita boa, e ótima área para camping. Conversei com o rapaz que gerencia o local, e ele me deixou acampar lá em troca de umas fotografias.

46

Após esses 9 dias de passeio finalmente chegou o dia: Mariana chega dia 20/03 na rodoviária de Jaraguá do Sul. Encontro-a e iniciamos nosso passeio sentido Pomerode e depois Timbó e Dr. Pedrinho.

Foram sete dias de muita alegria e diversão. Mariana se mostrou em ótima forma física e pudemos fazer todo o trajeto planejado. Na serra de Pomerode fomos acolhidos pelo Sr. Gilberto e seu filho Rafael, nos ofereçeram um ótimo almoço, além de uma aula sobre arquitetura e história da região.

47

Esses 17 dias foram de diversão e felizes reencontros. Pude desfrutar intensamente da natureza, além de conhecer (e em alguns casos reencontrar) pessoas honestas e trabalhadoras.

Claro que levei uma vida simples, porém devido ao fato de estar sempre bem preparado, pude aproveitar cada momento, sempre bem alimentado e feliz por amar e se sentir amado. Sigo só agora, rumo ao Rio Grande do Sul. Fique ligado nos meus movimentos!

41

Anúncios

Sobre Luís Cunha

Cidadão do mundo, formado em design e atualmente freelancer na área da ilustração e do design gráfico. Fale comigo -> luisbcunha@gmail.com portifólio -> behance.net/luiscunha
Esse post foi publicado em Expedição América Latina e marcado , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

6 respostas para Cicloviagem: LatAm | Especial: 17 dias pedalando no Vale Europeu (SC) sem pagar hospedagem

  1. Pingback: a vida virou um risco

  2. Mauricio Matos disse:

    Fantástica a sua aventura. Pretendo fazer esse trecho em janeiro. Qual a sua barraca? Não terei mta grana. Mas pelo que vi, dá pra fazer com pouco recursos. Vlw

    Curtir

    • Luís Cunha disse:

      Nessa epoca minha barraca era a Aztec minipack. Vai com tudo pois a região é maravilhosa e muito segura. Nao se preocupe em pagar hospedagem. Ao fim de cada dia vc pede autorizacao pra acampar onde estiver e eh muito tranquilo. Lembra de ter uma esteira isolante boa e um saco de dormir razoavel. Isso garante uma noite de sono confortavel dentro da barraca.

      Curtir

  3. otavioremedio disse:

    Olá Luis, mto legal sua viagem, parabéns.

    Será que você consegue passar um checklist de tudo o que vc leva numa viagem assim pra eu poder ter uma noção? E quanto tempo você demora pra montar/desmontar o acampamento na viagem?

    Uma curiosidade, vi que você prefere jogar a maior parte do peso na frente da bike, tem alguma vantagem ou é apenas gosto mesmo? Sempre uso na parte traseira, mas tenho a impressão que nas subidas e pior além de parecer judiar mto da parte de trás da bike.

    Abs!

    Curtir

    • Luís Cunha disse:

      Olá Octavio, obrigado pelo comentario!!!
      Basicamente eu levo equipamentos para abrigo (roupas segundo o clima, barraca, esteira isolante, saco de dormir, toldo 3x2m e rede de dormir), cozinha (comidas, fogareiro, panelas, prato, copo e garrafa termica) e equipamentos pra trabalho (camera fotografica, computador, caderno, canetas, pincel, serrinha, arame, alicate). Tambem levo sempre as ferramentas pra tirar roda, camara de ar extra e ocasionalmente um pneu sobressalente.
      Quanto ao tempo de armar/desarmar o acampaamento varia, pois se fico na casa de alguem que tem cozinha e cama já nao tenho que tirar um monte de coisa da bicicleta, entretanto em um acampamento que eu tenho que arma barraca e cozinhar uma janta/café normalmente levo 2h entre levantar, toma cafe da manha e guardar tudo.

      Gosto de distribuir o peso na bicicleta de forma igual, assim que ela fica mais estavel e eh maia facil fazer sibidas. Nesse trecho da viagem eu havia deixado varios equipamentos da casa de um amigo e fui mais leve, por isso ficou com mais peso na frente.
      Grande abraço e muita sorte nas estradas!!!

      Curtir

      • otavioremedio disse:

        Nossa, deve ficar bem pesado rsrs.

        Muito obrigado pelas dicas, espero um dia fazer algo acampado, ainda não tive coragem.

        Abs.

        Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s